Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
JOSÉ KOPKE FRÓES

O acadêmico José Kopke Fróes nasceu em Petrópolis a 16 de agosto de 1902, filho do professor Antônio Gabriel Coutinho Fróes e Anita Kopke Fróes. Seu curso universário foi Odontologia porém jamais exerceu a profissão, preferindo atuar na área da cultura. Por mais de 30 anos corridos foi bibliotecário da Biblioteca Municipal de Petrópolis, à qual deu toda dedicação e extremo carinho. Quando foi criado o "Museu Santos Dumont", estendeu sua atividade para a direção daquela Casa Histórica. No governo do prefeito Nelson de Sá Earp foi Diretor de Ensino. O seu forte era a leitura e a pesquisa histórica. Amava Petrópolis e sua História, tornando-se um de seus mais abalizados conhecedores, a isso juntando seu dom jornalístico e a paixão pela fotografia, o que o tornou o principal colecionador de fotos antigas de Petrópolis. Numismata diletante, possuía rara coleção de selos que mostrava em exposições nos Correios, onde fundou a Sala Filatélica, ficando à disposição dos interessados na nobre atividade. Inquebrantável e compulsivo operário da cultura JKF (ele gostava de assinar artigos com as iniciais), participou da muitas entidades culturais e sociais, destacando-se como um dos fundadores do Petropolitano Futebol Clube, da Liga Petropolitana de Desportos, do Clube dos Treze e da Associação dos Servidores Municipais. Foi associado atuante do Clube 29 de Junho, da Escola de Música Santa Cecília, onde foi conselheiro e benemérito, do Rotary Clube de Petrópolis, do Instituto Histórico de Petrópolis e nosso acadêmico. Em nossa Casa proferiu várias conferências, foi empossado em 1946 e presidente no biênio 1956-1957, tendo como companheiros de diretoria Lourenço Luiz Lacombe, Antônio Virgínio de Moraes, Jorge Ferreira Machado, Germana Gouvêa e João Francisco. Na presidência de Arthur de Sá Earp Netto (biênio 1950-1951) foi 2o secretário; com Octávio Leopoldino de Morais (biênio 1954-1955) foi Secretário Geral; e com Olavo Dantas (biênios 1980-1983) foi Bibliotecário. Ocupou a cadeira 26, patrono D. Azeredo Coutinho, hoje sob Luiz Gonzaga dos Santos Gutierrez. JKF deixou copiosa colaboração histórica em toda a imprensa da cidade, publicou "Petrópolis, Capital do Estado" e a sua coleção de fotografias está hoje integrada ao acervo documental do Museu Imperial. Casado com a inspirada poeta Catharina Leite Fróes, foram pais de Miriam, Mauro e Marina. JKF Faleceu, aos 90 anos de idade, no dia 21 de setembro de 1992.


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados