Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
HERMES GUIMARÃES

Hermes Guimarães, carioca, nasceu em Realengo a 3 de março de 1910. Desde menino sonhava com a carreira das armas, ingressando na Escola Militar do Realengo, integrando a 1ª turma de cadetes e declarado Aspirante a Oficial da Arma de Artilharia, no ano de 1932.

Daí para a frente, sua carreira notabilizou-se pela dedicação, cumprimento do dever, patriotismo e exemplo de militar, cumprindo missões em todo o Território Nacional, até a reforma no posto de General de Divisão. Comandou o Forte de Coimbra na fronteira com o Paraguai onde defrontou-se com o cangaceiro Silvino Jaques, que derrotou em memorável campanha nas selvas do sul; comandou o Regimento Floriano, extraordinária unidade líder da 1ª Divisão de Infantaria do 1º Exército. Capacitando-se sempre, completou cursos de aperfeiçoamento de oficiais das Forças Armadas.

Recebeu inúmeras condecorações e muitos títulos como as Medalhas de Ouro por 30 anos de bons serviços prestados ao Exército, do Esforço de Guerra, do Pacificador, a de Souza Aguiar, a de Euclides da Cunha e a do Mérito Cívico Cultural. Integrou os quadros de institutos de pesquisa histórica, de literatura e de artes. Em Petrópolis, onde fixou-se após a reforma, desposou, em segundas núpcias, a professora Maria de Lourdes Tornaghi, filha do inesquecível acadêmico e bela figura humana de médico, cidadão e literato, Dr. Ernesto Tornaghi, ela diretora e mentora da Sociedade Artística Villa-Lobos, maravilhosa entidade de difusão da música erudita, hoje com 32 anos de existência e em franca atividade.

O acadêmico Hermes abraçou de corpo e alma e muito entusiasmo a Sociedade Villa-Lobos, como vice-presidente, juntamente com a Associação Brasileira para o Rearmamento Moral, uma terceira paixão de sua existência. Publicou os livros: "Idéia Superior - O mais puro aperfeiçoamento de Democracia", "Ernesto Tornaghi", "Caxias, Patrono da Unidade Nacional", "O Papel do Jovem na Segurança Nacional e o Escotismo", "O Vulto Petropolitano Henrique José Rabaço" (premiado pela Academia Petropolitana de Letras), "Discurso de Posse", "A Revolução de 1964", "Assis, o Renovador da Humanidade", "Quero ser Bom Soldado", "Rio-Belém em 17 Dias" e muitos discursos e conferências. Foi divulgador e entusiasmado amante do Escotismo, tinha espírito e ação de escoteiro; participou do Elos Clube de Petrópolis com muita ação e trabalho, integrando diretorias da entidade e publicando a tese "Dinâmica do Elismo". Ingressou na Academia Petropolitana de Letras, eleito em 17 de janeiro de 1987 e empossado a 7 de abril do mesmo ano, na cadeira nº 21, patrono Saldanha da Gama. Faleceu no ano de 1999, deixando um filho militar e 4 netos. Foi uma criatura humana sensível, amiga, disposta à ação social e cultural, doando sua vida á Pátria, à Família e aos amigos que conquistou e que o admiravam pela sua capacidade intelectual e raro estofo moral.


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados