Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
GUY LADVOCAT CINTRA

Nasceu na cidade de São Paulo a 2 de outubro de 1922, filho de tradicionais famílias: na ascendência paterna a paulista Cintra e na de materna a francesa Ladvocat. Sua formação escolar foi com os padres Salesianos, Jesuítas e Maristas e, em seguida, advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. De apurado embasamento católico sob expressivo conhecimento humanístico, lecionou nos colégios cariocas “Andrews”, “São Francisco de Salles”, “Santo Antônio Maria Zacarias”e “Santo Inácio”. Radicando-se em Petrópolis foi professor da Faculdade de Direito da Universidade Católica de Petrópolis, na qual integrou o Conselho Universitário. Dedicou-se com empenho e muito fervor à causa do menor, tornando-se funcionário do Serviço Social da Legião Brasileira de Assistência, no período de 1945 a 1953, chegando ao cargo de Procurador da entidade, no qual se aposentou. Sob patrocínio do Ministério da Justiça da França, realizou naquele país estágio de aperfeiçoamento no campo da proteção ao menor. Foi membro do Conselho Deliberativo da Funabem. Abriu escritório de advocacia no Rio de Janeiro onde propiciou a uma requintada clientela e a clientes humildes seu vasto conhecimento e raro sentido profissional com honra e competência. Dentre seus clientes o “Credit Lyonais”, o maior Banco da França e a “Aliança Francesa”. Casou com Maria Angélica, uma prima argentina, tendo o casal 7 filhos e onze netos. Residindo em Petrópolis, pertenceu à Associação dos Pais de Família, colaborou com o Juizado da Infância e da Juventude, foi árbitro do I juizado Especial de Pequenas Causas, assistente jurídico da Unimed e membro da Comissão e Proteção aos Menores da OAB, dentre outras atividades sempre deitadas aos problemas sociais de nossa juventude. A 16 de março de 1993 recebeu o título de “Cidadão Petropolitano”, pela Câmara Municipal de Petrópolis. Foi eleito para a Academia Petropolitana de Letras no ano de 1995, assumindo a cadeira nº 27, patrono Miguel Pereira em posse realizada a 15 de junho de 1995. Integrou a Diretoria do biênio 1997-1998 como 1º secretário, junto ao seu grande amigo e presidente da casa Hélio Werneck de Carvalho, mas não completou o mandato vindo a falecer no dia 1º de maio de 1998. Escreveu muitos trabalhos jurídicos e teses sobre sua especialidade: a proteção ao menor. Homem sereno, humanista, viveu para o bem e para o serviço comunitário e social, no que foi mestre e soldado inexcedível.


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados