Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
SILVIO JULIO DE ALBUQUERQUE LIMA

Silvio Júlio de Albuquerque Lima, nasceu em Recife, Pernambuco a 19 de novembro de 1895, filho do General Melquisedeque de Albuquerque Lima e Júlia Jardim Spíndola de Albuquerque Lima. Foi vibrante orador, ensaista, contista, historiador, filólogo, poeta e uma das maiores expressões da análise da história americana andina. Foi professor catedrático brilhante, por concurso de títulos e de provas da antiga Universidade do Brasil, hoje a Universidade Federal do Rio de Janeiro; das Universidades Nacional de São Marcos de Lima, Nacional de Huánuco e San Martin de Porres, todas no Peru; e da Universidade Central de Quito, no Equador. De polimorfa e bela cultura, dedicou sua vida à educação e a escrever intensa e profundamente sobre múltiplos temas,
com farta produção de temas ameríndios. Casou em primeiras núpcias com Carmen Lemos Basto de Albuquerque Lima que lhe deu um filho, Robério, destacado e culto advogado de saudosa memória. Enviuvando, desposou Lastênia Senno de Albuquerque Lima, chilena bela, à qual dedicou pungente livro de poemas quando esta faleceu no ano de 1974, obra consagradora de sua veia poética: "Elegias a Lastênia". Produziu muito, escrevendo e publicando: "Folclore e Dialectologia do Brasil e Hispano América", "Bolivar" (extraordinária biografia), "O Conto em Mellilo Moreira de Mello", "Ensaio sobre a História dos Povos Americanos", "Aproximações Folclórica em Português e Espanhol", "História, Arqueologia e Lingüística", "Achegas Peruanas à Literatura Ibero-Americana", "Três Aspectos do Drama na Atualidade Brasileira", "Penhascos", "A Anexação da Província Alto-Peruana de Chiquitos à Capitania de Mato Grosso em 1825 e a Atitude de Bolivar", "Bolivar e Sucre", "Escritores Antilhanos", "Terra e Povo do Ceará", "Nótulas de Literatura Espanhola para Brasileiros", "Artigas" e muitos outros. Um fenômeno de cultura e erudição, residia em Petrópolis quando não estava em viagens e nas cátedras do Peru e Equador e aqui ingressou na Academia Petropolitana de Letras no ano de 1948, em substituição ao professor Henrique Pinto Ferreira, até falecer a 2 de setembro de 1984, aos 89 anos de idade. Silvio Júlio, admirável escritor e mestre deixou imperecível legado de cultura e invejável bagagem literária em prodigiosa obra que deveria ser reeditada e adotada pelas cátedras de nossa história hispano-americana.


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados