Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
MÁRIO PASSOS

Mário Passos nasceu na cidade de Viçosa, Ceará, a 8 de abril de 1897, filho do comerciante atacadista Antônio Honório Passos e Francisca Olegarina Passos, ambos de famílias cearenses. Por volta de 1908 os pais de Mário encaminharam-no para Petrópolis, matriculando-o no Colégio São Vicente de Paulo, no internato para meninos, que funcionava no prédio do Palácio Imperial, hoje Museu Imperial. Com Mário vieram suas duas irmãs Honorina e Diva para o internato do Colégio Santa Isabel. Nessa época os educandários petropolitanos granjeavam prestígio nacional e Petrópolis era a cidade de maior expressão cultural no país. Em Petrópolis conheceu Lucilia Paixão, moça de tradicional família, com ela casando a 8 de setembro de 1919. Nascida em 24 de julho de 1898, Lucilia era filha do Engenheiro Dr. Henrique Paixão e neta do Professor José Ferreira Paixão e de Maria Augusta Paixão, renomados educadores e donos do pioneiro e afamado Colégio Paixão de 1870 a 1891. Tornou-se talentosa professora, foi inspetora federal do ensino secundário e escritora de livros didáticos e infantis. O casal teve 7 filhos: José Carlos, Mário Augusto, Maria Teresa, Maria Celina, Luiz Roberto, Geraldo Henrique e Maria Helena.
Mário Passos apreciava o jornalismo, o que fê-lo fundador e 1° diretor do “Jornal de Petrópolis” e da revista “Boa Imprensa”, no ano de 1922, deixando apreciável conjunto de artigos e contos na imprensa e em livros coletivos.
A 3 de agosto de 1922 estava junto aos jovens escritores que fundaram a Associação Petropolitana de Ciências e Letras, a nossa hoje Academia Petropolitana de Letras.
No mesmo ano de 1922 foi residir em sua terra, o Ceará, para, em seguida, retornar para Petrópolis, onde montou e explorou a Papelaria Império, na rua Paulo Barbosa, mais tarde, sob novos proprietários, denominada D. Pedro II.
No ano de 1946, transferiu residência para o Rio de Janeiro, com toda a família, comemorando com Lucilia bodas de ouro no ano de 1969. Mário faleceu, aos 82 anos de idade a 3 de julho de 1979 e Lucilia, com 93 anos, a 2 de maio de 1992.
(Biografia levantada pelo historiador Paulo Roberto Martins de Oliveira, do Instituto Histórico de Petrópolis, com nossos agradecimentos)


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados