Academia Petropolitana de Letras
Menu Dropdown - Linha de Código

 

Memória Acadêmica
JULIO COSTA

Nasceu em Barra do Pirai, Estado do Rio de Janeiro, a 21 de outubro de 1903, filho de Miguel Costa e Cândida da Silva Costa, família de ascendência portuguesa. Ingressou nas fileiras do Exército onde pontificou com nobre carreira, tendo participado do movimento revolucionário de 1932, servindo em Taubaté, Estado de São Paulo. No ano de 1935 seguiu para o Rio Grande do Sul, onde serviu na Caudelaria Nacional de Rincão; em 1936 estava em Campo Grande, no Estado do Mato Grosso. Seguiu carreira em Cuiabá, onde serviu com Eurico Gaspar Dutra e Filinto Muller, amizades que perdurou por todas as suas vidas. Em 1939 estava de volta a Campo Grande, no Depósito de Remonta onde, com Luiz Francisco de Mattos, seu comandante e, posteriormente Hugo Kramer Ribeiro, edificaram a Caudelaria de Campo Grande, onde grande número de cavalos de puro sangue foram colocados à disposição de fazendeiros para o desenvolvimento da eqüinocultura. Ele próprio tornou-se um criador de cavalos, acabando por escrever importante obra sobre o tema “O Cavalo na História”. Articulista, colaborou em jornais de Campo Grande como “O Progressista” e “Jornal do Comércio”, ingressando na política, candidatando-se a deputado estadual sem lograr êxito. Ingressou na Academia Matogrossense de Letras e dessa fase é sua obra “História do Brasil em Versos”, que na editou e permanece inédita. Escritor de boa pena, poeta, produziu muitos trabalhos, reunidos no volume “Querência Amena”, editado por seus filhos nas comemorações do centenário de seu nascimento, 2003. Casou a 23 de abril de 1925 com Helena Campos, em Aquidauana - MT, tendo o casal três filhos: Álvaro, Yara Jocely e Eliana Mara. No ano de 1950 veio servir no 1º Batalhão de Caçadores, em Petrópolis, onde logo identificou-se com a sociedade cultural, colaborando na imprensa e freqüentando a Academia Petropolitana de Letras, na qual ingressou, ocupando a cadeira nº 03, patronímica de Euclides da Cunha, empossado a 29 de dezembro de 1952. Reformou no posto de Coronel. Participou ativamente na campanha política junto ao General Henrique Teixeira Lott, que disputou a Presidência da República com Jânio Quadros. Faleceu no Rio de Janeiro a 13 de março de 1963.
O Tenente Júlio, como era mais conhecido, inclusive em seus tempos de Petrópolis, foi um misto de militar responsável e patriota, chefe de família exemplar e escritor e poeta de expressiva bagagem literária.


Academia Petropolitana de Letras

© 2014 - Academia Petropolitana de Letras
Todos os direitos reservados